quinta-feira, 7 de julho de 2011

Troca da Correia Dentada do Citroën Picasso 2 .0 16v


A correia sincronizadora tem uma função de extrema importância num veículo: é responsável por transmitir o movimento do virabrequim para o eixo do comando de válvulas no cabeçote, o que faz o motor funcionar. Por isso, manter a correia dentada do carro do seu cliente em perfeitas condições, significa manter o seu motor com bom desempenho e economia de combustível. Problemas no estado das correias acontecem por falta de revisão e de troca preventiva no prazo de substituição, além de especificações incorretas na montagem e até por avarias causadas pela falha de outros componentes do motor.

Respeitar o plano de manutenção do carro é importante para a durabilidade da correia, mas também é essencial utilizar produtos originais e específicos para cada modelo, além de se atentar nos cuidados de armazenamento, manuseio e aplicação da peça. Nessa matéria, trocamos a correia dentada e Poli-V do modelo Citroën Picasso, ano de fabricação 2005, que adota o motor EW 10 J4, com 2.0 litros e 16 V, ou seja, com comando duplo de válvulas. Esse é o mesmo motor do Peugeot 307, EW10A, sem variador de fase, nem VVT.

Manutenção e substituição
A substituição preventiva das correias sincronizadoras varia de modelo para modelo, por isso o técnico deve ler atentamente o manual do proprietário. Nesse caso, o manual diz para trocar com 75 mil km, dependendo dos cuidados do motorista. Na checagem visual, feita aos 20 mil km, o reparador precisa ficar atento às avarias como dentes desgastados, arrancados ou cortados; contaminação por óleo lubrificante; e ruídos na transmissão; além do tensionamento.
A quebra de uma correia dentada gera o empenamento das válvulas, devido ao choque com pistões. Dependendo do caso (condições de giro e carga), os danos podem ser ainda maiores, como o arrancamento de guias de válvula, material do cabeçote e topo dos pistões. "Os problemas mais freqüentes são vincos e tensão fora do indicado, causados por erros de aplicação e manuseio incorreto. Isto acarreta a substituição de outras peças", Rogério Merizio, supervisor técnico da Dayco do Brasil.
A armazenagem correta das peças antes da utilização também é de extrema importância para garantir a qualidade do produto. Por isso, deixe os componentes dentro de suas embalagens originais, em local específico, arejado, sem incidência de raios solares, sem risco de contaminação por óleo, graxas, sem risco de sobrepeso, e manuseadas somente na hora da aplicação.
É bom conferir sempre as recomendações específicas de cada motorização e substituir, juntamente com a correia dentada, outros componentes como rolamentos de apoio e tensionadores. As polias, a bomba d'água, e os parafusos de fixação das polias devem ser trocados conforme indicação da montadora.
Passo-a-passo:
1) O primeiro passo para a troca da correia é colocar o carro num elevador e retirar a roda, para facilitar o acesso. Remova também as velas para facilitar o giro do motor. Antes de subir o carro, instale a ferramenta 101515 para suporte do motor. Retire também o protetor de cárter e o pára-lama interno.
2) Agora, com uma chave de boca, afrouxe o parafuso do tensionador para retirar a correia Poli V, que conecta os acessórios. Desenhe o caminho da correia para facilitar a colocação correta.
3) Em seguida, é necessário posicionar os pistões da árvore de manivelas para colocar o pino de travamento 161004. Com uma chave estrela ou soquete, gire a polia da árvore de manivelas até encontrar o furo onde a ferramenta encaixa. Se tiver dificuldade para encontrar a posição do pino (3b), posicione os comandos aos poucos e vire a manivela novamente.
4) Solte os parafusos do coxim superior do motor e retire a peça. Retire os parafusos da tampa de proteção plástica da correia dentada, do tipo allen 4 mm.
5) Verifique se as polias dos eixos de comando de válvulas estão alinhadas e instale os pinos (61004 C) de 5,85 mm e 9,75 mm nas polias dos eixos do comando de válvulas.
6) Somente depois desses passos, solte o parafuso da polia da árvore de manivelas, que na montagem tem torque de 40 Nm + 53º.
7) Após remover a polia do virabrequim, retire a capa de proteção inferior da correia dentada, presa por quatro parafusos sextavados de 10 mm e um de 13 mm.
8) Solte o parafuso do tensionador para aliviar a tensão da correia sincronizadora. Em seguida, remova a peça.
9) Solte o parafuso e retire o rolamento fixo. Lembre-se de que na montagem o torque é de 15 Nm + 37 Nm e é necessário o uso de trava química para não soltar com a vibração do motor.
10) Remova o rolamento tensor ou tensionador
Obs.: Vale lembrar que na hora de trocar a correia dentada é recomendável trocar todo o conjunto, disponibilizado na concessionária num kit com correia, rolamentos fixo e tensionador.

Montagem
1) Coloque o novo tensionador no alojamento correto, com torque de aperto de 20 a 25 Nm. Na montagem do rolamento, use a trava química.
2) Agora chegou o momento de instalar a nova correia dentada no sentido horário, começando a colocação pela polia do comando de admissão e finalizando no tensor.
3) Faça o posicionamento do tensor da correia dentada. Na hora de apertar o parafuso, utilize uma chave allen 6 mm para fazer o alinhamento do ponteiro até a marca, aí ta na tensão correta. Aperte o parafuso ou porca central de fixação do rolamento com torque de 20 a 25 Nm.
4) Remontar a capa de proteção inferior, e colocar a polia da árvore de manivelas.
5) Reinstale a polia dos acessórios aplicando um torque de 13 kgmf em seu parafuso central.
6) Remova os pinos de 5,85mm e 9,75mm dos comandos e o pino de determinação do posicionamento dos pistões. Dê dois giros completos no motor e confira se os pinos se encaixam novamente. Confira o ponteiro do tensionador.
7) Instale a nova correia poly-v, respeitando a seqüência determinada antes do inicio do processo.

Para tensionamento das correias, com uso de tensionadores automáticos (com sistema de mola), o reparador deve seguir algumas recomendações:
- Colocar o tensionador até a posição máxima de tensionamento
- Travar a porca do parafuso de fixação do tensionador nessa posição
- Girar o virabrequim por duas voltas completas
- Soltar a porca do tensionador o suficiente para posicionar o tensionador na posição intermediária (identificada no próprio tensionador)
- Apertar a porca do parafuso de fixação, com torquímetro, no valor específico para cada aplicação
- Os aplicadores devem certificar-se que os locais de aplicação estão limpos, pois a correia jamais deve estar em contato com componentes como óleo, lubrificantes, graxa e solventes. Além disso é muito importante o uso de ferramentas corretas para a troca. Outra questão que deve ser sempre lembrada é a armazenagem correta do material em local seco e arejado. Correias dentadas não devem ser guardadas fora da embalagem.
Colaboração Técnica: Fins Pneus

**Fonte: http://www.omecanico.com.br

3 comentários:

  1. Olá! Parabéns pelo manual!
    Prezado, você sabe me informar qual a marca da correia dentada original do C3 1.6 16v 2005 ? Obrigado!

    ResponderExcluir
  2. nossa valeu muito a pena ler esse blog e aprender sobre correia poli v pois alem de precisar desse serviço minha direção hidraulica está com problema.

    ResponderExcluir
  3. Olá gente boa bom dia, bacana a máteria e bem esclarecedora, só tem um tipo de motor da picaço ou tem dois modelos de motores? os procedimentos para troca são os mesmos? do modelo 2,0 de 16 valvulas? brigadão bom domingo a todos.

    ResponderExcluir